Labels

SUPPORT JULIAN ASSANGE

Monday, March 26, 2018

PT -- Manlio Dinucci -- A Arte da Guerra: A nova campanha da Rússia


Image result for pictures of the new Russian campaign

A Arte da Guerra

A nova campanha da Rússia

Manlio Dinucci


"Putin vai usar o Mundial 2018, como Hitler usou os Jogos Olímpicos de 1936, isto é, para encobrir o regime brutal e corrupto de que é responsável": esta declaração oficial do Ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, mostra a que nível chegou a campanha de propaganda contra a Rússia.

Num desenho animado, no jornal britânico The Guardian, copiado de um manifesto nazi dos anos 40, a Rússia é representada como uma aranha gigante, com a cabeça de Putin, que se apodera do mundo.

A Rússia é acusada de ter envenenado, em Inglaterra, um antigo funcionário seu,  preso por espionagem há 12 anos e libertado há 8 anos (portanto, já não está na posse de informações confidenciais), usando para envenenar, ele e a filha, o agente neurotóxico Novichok, de fabrico soviético (de modo a deixar,  deliberadamente, a pegada de Moscovo na cena do crime).

A Rússia é acusada de penetrar com habilidade excepcional nas redes informáticas, até mesmo de ter manipulado as eleições presidenciais nos Estados Unidos (“um acto de guerra”, como definiu John Bolton, o novo Conselheiro para a Segurança Nacional).

É acusada agora, oficialmente, pelo Departamento de Segurança Interna e pelo FBI, de preparar-se para sabotar com os seus piratas informáticos, centrais de energia eléctrica e nuclear, depósitos urbanos de abastecimento de água e aeroportos, nos EUA e na Europa, a fim de paralisar países inteiros. Deste modo, cria-se a imagem de um inimigo cada vez mais agressivo, do qual é necessário defender-se.

Numa conferência de imprensa conjunta comJohnson, o Secretário Geral da NATO, Stoltenberg, acusa a Rússia de “primeiro,  usar  um agente neurotóxico no território da Aliança”, ou seja, um verdadeiro acto de guerra; segundo, de “minar as nossas instituições democráticas”, isto é, de efectuar acções subversivas nas democracias ocidentais; de “Violar a integridade territorial da Ucrânia”, ou seja, ter começado a invasão da Europa.
 
Perante o “comportamento irresponsável da Rússia”, anuncia Stoltenberg, "a NATO está a responder”. Desta maneira, prepara a opinião pública para um novo reforço da máquina de guerra da Aliança, sob o comando USA, incluindo a instalação das novas bombas nucleares B61-12 e, provavelmente, também de novos mísseis nucleares americanos, na Europa.
 
O principal objectivo da Estratégia Nacional de Defesa dos EUA, anuncia o Pentágono, é “melhorar a prontidão e a letalidade das forças USA, na Europa”. Para este fim, são destinados 6,5 biliões de dólares no ano fiscal de 2019, elevando o total do quinquénio de 2015-2019, para 16,5 biliões de dólares. Esta atribuição é apenas uma parte da totalidade atribuída à operação Atlantic Resolve, lançada em 2014, para “demonstrar o empenho USA com a segurança dos aliados europeus”. Compromisso demonstrado pela transferência contínua de forças terrestres, aéreas e navais dos Estados Unidos para a Europa Oriental, onde são apoiados pelas forças armadas dos principais aliados europeus, incluindo a Itália.
 
Ao mesmo tempo, a NATO é reforçada com um novo Comando Conjunto para o Atlântico, inventando o cenário de submarinos russos prontos para afundar os navios mercantes nas rotas transatlânticas e, com um novo Comando Logístico, inventando o cenário de uma NATO forçada a mover, rapidamente, as suas forças para leste, a fim de enfrentar uma agressão russa. Assim, procura justificar a escalada USA/NATO contra a Rússia, subestimando a sua capacidade de reagir quando for encostada às cordas.

Johnson, que compara Putin a Hitler, deve recordar o que aconteceu aos exércitos de Hitler, quando invadiram a Rússia.


Il manifesto, 27 de março de 2018


NO WAR NO NATO





We need volunteer translators for these languages
AL, DE, BG, HR, NSP, SK, SI, EE, GR, NL, HU, ISL, LT, LU, NO, PL, CZ, TR, RU, ZH
Contact:




Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos

Post a Comment

assange



At midday on Friday 5 February, 2016 Julian Assange, John Jones QC, Melinda Taylor, Jennifer Robinson and Baltasar Garzon will be speaking at a press conference at the Frontline Club on the decision made by the UN Working Group on Arbitrary Detention on the Assange case.

xmas





the way we live

MAN


THE ENTIRE 14:02' INTERVIEW IS AVAILABLE AT

RC



info@exopoliticsportugal.com

BJ 2 FEV


http://benjaminfulfordtranslations.blogspot.pt/


UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00h UTC


By choosing to educate ourselves and to spread the word, we can and will build a brighter future.

bj


Report 26:01:2015

BRAZILIAN

CHINESE

CROATIAN

CZECK

ENGLISH

FRENCH

GREEK

GERMAN

ITALIAN

JAPANESE

PORTUGUESE

SPANISH

UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT


BENJAMIN FULFORD -- jan 19





UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT

PressTV News Videos