Labels

SUPPORT JULIAN ASSANGE

Wednesday, June 22, 2016

Os meios russos de defesa hipersónica



Valentin Vasilescu
O Estado-maior russo identificou o calcanhar de Aquiles dos planos de ataque norte-americano : os misseis anti-balíticos dos E.U. não podem interceptar nenhum míssil hipersónico na mesosfera. A Rússia, portanto, desenvolveu novas armas hipersónicas, em torno das quais elaborou a sua nova doutrina de defesa.
REDE VOLTAIRE | BUCARESTE (ROMÉNIA) | 15 DE JUNHO DE 2016 http://www.voltairenet.org/squelettes/elements/images/ligne-rouge.gif

JPEG - 30.3 kb
Na Europa e na Ásia, o exército dos E.U. tem presente apenas um limitado contingente de soldados, o qual não pode desencadear sozinho, nem sequer em conjunto com os exércitos aliados, a invasão da Rússia. Os Estados Unidos, que incluiu o contrôlo dos mares em 1941 como um dos objetivos de guerra [1], brilham há sete décadas graças à sua força naval, três vezes mais forte que a da Rússia, capaz de intervir em qualquer parte do mundo. Segundo o Pentágono, são precisos doze super porta-aviões para controlar o conjunto dos oceanos, possuindo a Marinha (Navy) actualmente dez e estando a construir mais três. O Pentágono dispõe igualmente de um gigantesco comando composto de centenas de navios, especializados em operações de colocação de divisões de fuzileiros (“marines”-ndT), de blindados, de veículos, de forças de operações especiais, para participar numa eventual invasão da Rússia. Por conseguinte, os grupos navais expedicionárias dos EU, organizados em torno de porta-aviões, navios de desembarque anfíbios e comboios navais de tropas e de material militar, são considerados o maior risco para a segurança da Rússia.

Os grupos navais, e os navios de desembarque de tropas dos EU a partir de navios de transporte, são protegidos por vários tipos de escudos anti-balísticos. Trata-se do sistema naval AEGIS, armado de mísseis SM-3 block 1B que neutraliza os mísseis balísticos em vôo de cruzeiro a altitudes compreendidas entre 100 e 150 km. Este sistema está montado em contra-torpedeiros (destróieres-br) e cruzadores AEGIS, somando-se aos escudos anti-mísseis balísticos instalado na Polónia e na Roménia. Por outro lado, o sistema móvel THAAD das forças terrestres está encarregue de defender os navios de desembarque. Estes sistemas são destinados a atingir os mísseis balísticos no início da fase de entrada na atmosfera, a altitudes situadas entre os 80 e 120 km. Acrescente-se a isso as baterias de mísseis móveis AA de longo alcance, de tipo Patriot, que tem capacidades anti-balísticas contra os mísseis na fase final da sua trajectória, a uma altitude de 35.000 metros [2].
A classificação das aeronaves em vôo na atmosfera da Terra é feita segundo a gama de velocidades. Distingue-se assim : 

- aparelhos voando a uma velocidade sub-sónica (até 1. 220 km / h, ou seja Mach 1), 
- aparelhos supersónicos, cuja velocidade se situa entre Mach 1 e Mach 5 (até 6. 000 km/h ), 
- e aparelhos hipersónicos, voando a velocidades entre Mach 5 e Mach 10 (quer dizer, até 12. 000 km/h).

Os russos descobriram que os mísseis anti-balísticos dos EU não podem interceptar nenhum míssil hipersónico na mesosfera (entre 35. 000 e 80. 000 m). A nova doutrina de defesa da Rússia estabeleceu, pois, que o antídoto russo para os grupos expedicionários e comboios navais dos EU, é representado pelos meios militares hipersónicos evoluindo a altitudes que vão de 35. 000 a 80. 000 metros.
O Ministério russo da Defesa alocou US $ 2 a US $ 5 mil milhões(bilhões-br) à Fundação de Pesquisa Avançada (ARF) –-o equivalente russo da DARPA do Pentágono--- para conceber uma variedade de meios hipersónicos derivados do aparelho espacial Yu-71 ( Projecto 4202). De 2011 a 2013, o Yu-71 foi testado em túneis aerodinâmicos, e a partir de 2013, até Abril de 2016, os testes foram efectuados na atmosfera, com lançamentos por mísseis estratégicos ligeiros UR-100 e R-29RMU2. O Yu-71 é um pouco semelhante ao projecto HTV-2, que foi abandonado pelos Estados Unidos em 2014.
O aparelho espacial Yu-71 provou que era capaz de voar a velocidades de 6.000 a 11. 200 km/h, a uma distância de 5.500 km, a uma altitude de cruzeiro abaixo de 80.000m. Ele foi chamado de “planador espacial” porque, contrariamente aos mísseis balísticos, tem um desempenho aerodinâmico soberbo de quase 5: 1 (relação elevação/sustentação) o que lhe permite adaptar-se a impulsos repetidos a partir de um motor de foguete, efectuando assim manobras de elevação de trajetória.
JPEG - 26.4 kb
Para além do motor de foguete que permite arranques e paragens repetidas, o “planador espacial” Yu-71 está armado com ogivas independentes, com sistemas autónomos de orientação similares aos mísseis terra-ar Kh-29 L/T e Kh-25 T . A doutrina militar russa prevê que o ataque contra a frota de invasão dos EU será executado em três vagas, em três alinhamentos, impedindo assim os grupos navais expedicionários de se posicionar perto da costa russa do mar Báltico.
- A primeira vaga de armas hipersónicas derivadas do “planador espacial” Yu-71, e dispostas nos submarinos russos de propulsão nuclear em imersão no meio do Atlântico, podem travar a batalha com os porta-aviões, com os porta-helicópteros, com os submarinos de ataque, com os navios cargueiros ou de proteção de grupos navais expedicionários, assim que estes empreendam a sua travessia do Atlântico para a Europa. 

- A segunda vaga de armas hipersónicas seria lançada sobre os grupos navais dos EU quando eles se encontrarem a 1. 000 km da costa Leste do Oceano Atlântico. O ataque seria lançado a partir dos submarinos russos instalados no Mar de Barents ou da base de mísseis estratégicos de Plesetsk, situada perto do Círculo Polar Ártico e do Mar Branco. 
- A terceira vaga de armas hipersónicas seria lançada sobre os grupos navais inimigos quando eles atingissem o estreito de Skagerrak (passagem do Mar do Norte para o Mar Báltico). O ataque será executado com mísseis hipersónicos 3M22 Zirkon, propulsionados por motores Scramjet, lançados a partir de aviões russos Zirkon a uma velocidade de Mach 6. 2 (6. 500 km/h), a uma altitude de cruzeiro de 30.000 metros, e com uma energia cinética de impacto com o alvo 50 vezes maior que a dos mísseis navais e aero-navais(ar-mar) existentes.

JPEG - 66.9 kb
A Rússia desenvolve também uma variante de arma hipersónica derivada do Yu-71 capaz de ser lançada a partir do avião militar russo de transporte pesado Il-76MD-90A(II-476). Esta avião tem um alcance máximo de vôo de 6. 300 km e pode ser reabastecido em vôo. Enquanto leva aos grupos navais norte-americanas cinco a seis dias para alcançar o Mar Báltico, o avião Il-76MD-90A pode chegar em poucas horas a todos os três alinhamentos calculados para o lançamento de armas hipersónicas. Muito embora este seja um segredo bem guardado, parece que a arma hipersónica será lançada pela porta do avião Il-76MD-90A, a uma altitude de 10. 000m, e, ela está equipada com um pára-quedas de estabilização que a mantêm em posição vertical até ao arranque do motor do foguetão. Sendo sabido que 50% do combustível de um míssil é consumido só para o levantar do solo e o fazer subir às camadas extremamente densas da atmosfera, até aos 10. 000m, o peso do lançador e do “planador espacial” fica pela metade do de um míssil balístico ligeiro R-29RMU2, o qual pesa 40 toneladas.
Suspensos em 1992, os vôos de bombardeiros estratégicos Tu-160 e Tu-95, assim como dos aviões Il-76 (transformados em aviões-cisterna para reabastecimento em vôo IL-78), retomaram, desde 2012, o longo curso das costas do Atlântico e do Pacífico. Um dos seus objectivos é de formar as equipes para as futuras missões de lançamento de armas hipersónicas.
Tradução
Alva

[1] « Charte de l’Atlantique », Réseau Voltaire, 14 août 1941.
[2] “Iskander, o pesadelo do Escudo anti-mísseis balísticos dos E.U.”, Valentin Vasilescu, Tradução Alva, Rede Voltaire, 26 de Maio de 2016.

00
Iskander, o pesadelo do Escudo anti-mísseis balísticos dos E.U.
00
Estratégia do golpe global

Post a Comment

assange



At midday on Friday 5 February, 2016 Julian Assange, John Jones QC, Melinda Taylor, Jennifer Robinson and Baltasar Garzon will be speaking at a press conference at the Frontline Club on the decision made by the UN Working Group on Arbitrary Detention on the Assange case.

xmas





the way we live

MAN


THE ENTIRE 14:02' INTERVIEW IS AVAILABLE AT

RC



info@exopoliticsportugal.com

BJ 2 FEV


http://benjaminfulfordtranslations.blogspot.pt/


UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00h UTC


By choosing to educate ourselves and to spread the word, we can and will build a brighter future.

bj


Report 26:01:2015

BRAZILIAN

CHINESE

CROATIAN

CZECK

ENGLISH

FRENCH

GREEK

GERMAN

ITALIAN

JAPANESE

PORTUGUESE

SPANISH

UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT


BENJAMIN FULFORD -- jan 19





UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT

PressTV News Videos