Labels

SUPPORT JULIAN ASSANGE

Thursday, December 1, 2016

Vladimir Putin profere o seu discurso anual para a Assembleia Federal, em Moscovo -- 01:12:2016 --Tradução por etapas



Vladimir Putin profere o seu discurso anual para a Assembleia Federal, em Moscovo

01:12:2016


Presidente da Rússia, Vladimir Putin: Boa tarde colegas, membros do Conselho da Federação, deputados da Duma Estatal, cidadãos da Rússia,
Hoje, como é habitual nestes encontros anuais, vou falar sobre as nossas tarefas a respeito da economia, do sector social, da política interna e externa. O discurso deste ano concentrar-se-á, particularmente, na economia, nos assuntos sociais e na política interna.
Temos de abordar todos estes vários assuntos, em condições complicadas e altamente pouco habituais, o que não é um acontecimento único, na nossa História. Mais uma vez, o povo da Rússia mostrou, de forma convincente, que pode enfrentar desafios difíceis, proteger e defender os seus interesses nacionais, a sua soberania e o seu rumo independente.
Colegas, já referi publicamente, noutras ocasiões, o que quero dizer hoje, mas deixem-mo dizer novamente, nesta ocasião.
O nosso povo uniu-se em torno de valores patrióticos. Vemos essa unidade e devemos agradecer-vos por ela. Uniram-se à volta desses valores, não porque todos estão felizes e não têm exigências. Pelo contrário, não há falta de problemas e de dificuldades. Mas as pessoas têm a percepção das suas causas e o que é mais importante ainda, estão confiantes de que juntos, podemos superar esses problemas. É esta disponibilidade para trabalhar a favor do nosso país e esta preocupação sincera e profunda pela Rússia, que formam o fundamento desta unidade que comprovamos.
Ao mesmo tempo, as pessoas anseiam por ter oportunidades amplas e iguais de desenvolvimento do seu potencial e transformar em realidade as suas iniciativas comerciais, criativas e civis. Elas almejam respeito pela sua pessoa, pelos seus direitos, liberdades e trabalho.
Os princípios de justiça, respeito e confiança são universais. Somos coerentes na defesa desses princípios no cenário internacional e, como vemos, com resultados. Mas temos de colocar o mesmo esforço para garantir esses princípios aqui, no nosso país, em relação a cada indivíduo e à sociedade como um todo.
O nosso povo considera muito a peito qualquer injustiça ou inexactidão. É uma característica intrínseca da nossa cultura em geral. A nossa sociedade rejeita categoricamente a arrogância, a presunção, a insolência e o egoísmo, não importa em quem os veja. O nosso povo atribui maior valor a qualidades como responsabilidade, altos padrões morais, preocupação com os interesses públicos, disponibilidade para escutar os outros e respeitar as suas opiniões.

Este facto reflectiu-se na campanha eleitoral que aconteceu este ano. Como sabem, na minha tomada de posse, em 2012,  apoiei a ideia de regressar a um modelo misto, em relação às eleições para a Duma do Estado. Foi um passo para ir de encontro às exigências da opinião pública.
Penso que o nosso rumo de desenvolvimento do sistema político, das instituições de democracia directa e de tornar as eleições mais competitivas é totalmente justificado e, certamente, irá continuar.

Duma do Estado
A Duma do Estado tem reforçado o seu papel como órgão representativo e, em geral, tem reforçado o poder legislativo da autoridade do governo. Temos de apoiá-la e confirmá-la, com acções concretas. Isto diz respeito a todas as forças políticas representadas no Parlamento.
Claro que o partido da Rússia Unida, tem uma responsabilidade especial, a este respeito. Aliás, neste momento, está a celebrar o seu 15 º aniversário. A Rússia Unida tem uma maioria constitucional na Duma do Estado e é o principal apoio do Governo, no Parlamento. Devemos organizar o trabalho em conjunto, de modo a assegurar que todas as promessas e compromissos assumidos em relação ao nosso povo, sejam cumpridos.
O nosso povo decidiu o resultado da campanha eleitoral e escolheu o caminho do desenvolvimento construtivo. Ele provou que vivemos numa sociedade saudável e confiante em  exigências legítimas e justas, que tem uma imunidade cada vez maior contra o populismo e contra a demagogia, e que valoriza muito a importância da solidariedade, da proximidade e da unidade.
De facto, não estou a mencionar nenhum tipo de dogmas ou uma unidade não existente e, claro que não estou a referir a imposição de uma visão do mundo em particular. Já passamos por todas essas etapas na nossa História e, como sabem, não temos nenhuma intenção de voltar ao passado.
Mas isto não significa que possamos manipular palavras eloquentes e usar a conversa da liberdade como uma capa para insultar os sentimentos e as tradições nacionais dos outros.
Alguns poder-se-ão considerar mais progressistas, mais inteligentes e espertos do que os outros, mas se for esse caso, respeitem os outros e será a tarefa natural a fazer.
Ao mesmo tempo, penso que, em contrapartida, é inaceitável assumir uma atitude agressiva, tanto mais se degenerar em vandalismo e violação da lei. As autoridades do Estado responderão com firmeza a tais casos.
Amanhã, o Conselho da Cultura vai reunir-se e discutiremos, certamente, essas questões que provocam ampla discussão e falaremos sobre os princípios de responsabilidade mútua dos representantes da sociedade civil e das figuras mundiais das artes.
Mas deixem-me salientar que, quer na cultura, na política, nos meios da comunicação mediática, na vida pública ou nos debates sobre questões económicas, ninguém pode proibir a liberdade de pensamento e a liberdade de expressar abertamente a sua posição.

Solidariedade e unidade
Permitam-me que diga, uma vez mais que, quando falamos de solidariedade e unidade, o que queremos dizer é a consolidação consciente e natural do nosso povo, no interesse do desenvolvimento bem sucedido da Rússia.
Será possível alcançar grandes objectivos estratégicos numa sociedade fragmentada? Será possível determinar as nossas tarefas num Parlamento que, em vez de realizar um trabalho produtivo, emprega o seu tempo a deliberar sobre ambições competitivas e argumentos infrutíferos?
Será que podemos desenvolver-nos de maneira bem sucedida, tendo como base instável, um Estado fraco e um Governo apático, controlados a partir do estrangeiro e que já não têm a confiança do povo? A resposta é, claramente, não.

Presidential Address to the Federal Assembly.
Em anos recentes, constatamos um certo número de países onde este tipo de situação abriu caminho aos aventureiros, a golpes de Estado e, em última instância, à anarquia. Em toda a parte, o resultado é o mesmo: tragédias humanas e vítimas, degradação, ruína e desilusão.
É preocupante ver em todo o mundo, mesmo nos países aparentemente mais prósperos e nas regiões estáveis, que testemunhamos o aparecimento de um número, cada vez maior, de novas divisões e conflitos em termos políticos, étnicos, religiosos e sociais.
Tudo isto está a acontecer no contexto duma grave crise migratória que os países da Europa e de outras regiões, enfrentam hoje. Sabemos bem as consequências que essas grandes perturbações podem trazer. Infelizmente, o nosso país passou por muitas dessas perturbações e respectivas consequências, no século XX.
O próximo ano, de 2017, sinalizará o 100º aniversário das revoluções de Fevereiro e de Outubro. É o momento oportuno para rever as causas e a natureza dessas revoluções na Rússia. Não deve ser feito apenas pelos historiadores e estudiosos; a sociedade russa, em geral, necessita fazer uma análise objectiva, honesta e profunda desses acontecimentos.
É a nossa História comum e precisamos tratá-la com respeito. Eis algo que o destacado filósofo russo e soviético, Alexei Losev, escreveu: "Conhecemos a estrada espinhosa que o nosso país percorreu", escreveu ele. "Conhecemos anos longos e cansativos de luta, de escassez e de sofrimento, mas para os filhos da nossa pátria, tudo isto é a sua herança nativa e inalienável".
Estou certo de que a maior parte do nosso povo tem precisamente esta atitude em relação à nossa terra natal e precisamos das lições da História, principalmente, para a reconciliação e para o reforço do entendimento social, político e civil que conseguimos alcançar.
É inaceitável arrastar, hoje, os rancores, a raiva e a amargura do passado para a nossa vida, e na busca dos nossos próprios interesses políticos e de outros, especular sobre tragédias que dizem respeito a praticamente todas as famílias da Rússia, não importa de que lado das barricadas estavam os nossos antepassados. Vamos recordar que somos um só povo, um povo unido, e que temos apenas uma Rússia.

Demografia e natalidade
Colegas, a base de toda a nossa política é cuidar das pessoas e aumentar o capital humano como sendo o recurso mais importante da Rússia. Por conseguinte, os nossos esforços visam apoiar os valores tradicionais e a família, implementar programas demográficos, melhorar o ambiente e a saúde das pessoas e promover a educação e a cultura.
Compreendem, não posso deixar de dizer algumas palavras sobre o que na realidade está a acontecer, sobre o que temos e o que conseguimos. O crescimento natural da população continua.
Em 2013 - os demógrafos aplicam o termo taxa de fertilidade - era de 1.7 na Rússia, que é maior do que na maioria dos países europeus. Por exemplo, em Portugal a taxa de fertilidade é de 1.2, em Espanha e na Grécia é de 1.3, na Áustria, Alemanha e Itália é 1.4 e 1.5 na República Checa. Estes são os valores obtidos em 2013. Em 2015, a taxa de fertilidade total será ainda maior na Rússia – 1.78 - o aumento é ligeiro, mas ainda  assim, é um aumento.
Continuaremos a introduzir mudanças na esfera social para que o sistema vá de encontro a mais expectativas e necessidades das pessoas e se torne mais moderno e justo. As esferas sociais devem atrair profissionais qualificados e jovens talentosos. Por essa razão é que estamos a aumentar os salários dos especialistas e a melhorar as suas condições de trabalho.
Deixem-me observar que a taxa de competição para se inscreverem nas universidades médicas e de formação de professores, cresce de forma constante (enquanto não há muito tempo  pairava em cerca de zero). Em 2016, era de 7.8 pessoas para as profissões docentes e após a matrícula de 2016 a competição geral para as candidaturas financiadas pelo Estado atingia quase 28 pedidos por cada vaga. Deus conceda a todos os jovens especialistas, boa saúde e sucesso nas suas futuras actividades.
Recordo-me bem de como os meus colegas e eu, discutimos projectos de assistência médica de alta tecnologia e redes de centros perinatais, que nos faltavam naquela época. Em 2018, a Rússia terá 94 desses centros.
Hoje os nossos médicos salvam recém-nascidos nos casos mais complicados. Também alcançamos o nível dos países avançados nestes indicadores.
Em 2015, os indicadores de mortalidade infantil da Rússia eram de 6,5 por 1.000 nado vivos, enquanto na Região Europeia da Organização Mundial da Saúde eram de 6.6; Isto significa que o nosso [indicador] foi ligeiramente melhor. Após 10 meses, em 2016, a Rússia atingiu o nível de 5.9.
Na última década, o número dos serviços médicos de alta tecnologia aumentou num factor de 15. Centenas de milhares de operações complexas são realizadas não apenas nos hospitais principais dos centros federais, mas também nos hospitais regionais. Quando lançamos o programa, em 2015, 60.000 pessoas na Rússia receberam assistência médica de alta tecnologia; em 2016, o número será de 900.000. Também é essencial avançar. Ainda assim, comparem: 60.000 e 900.000. Existe uma certa diferença.

Cuidados de Saúde
No próximo ano, teremos de introduzir mecanismos para assegurar um financiamento estável para a assistência de alta tecnologia. Fará com que seja possível torná-la ainda mais acessível e reduzir o tempo de espera das operações.
Em resumo - e expondo este assunto sem rodeios - os problemas no sector da Saúde permanecem e ainda existem muitos deles. Estão relacionados principalmente com os Cuidados de Saúde Primários. Deve ser dada prioridade ao seu desenvolvimento.
Os pacientes são muitas vezes confrontados com filas de espera, com uma atitude superficial e de indiferença. Os médicos estão sobrecarregados e é difícil obter uma consulta com um especialista da área. O que acontece, frequentemente, é que as clínicas ambulatórias estão fornecidas com o equipamento mais moderno, mas os médicos especialistas não possuem as qualificações necessárias para usar esse equipamento.

A partir do próximo ano, serão organizados nos centros médicos federais e regionais, e nas universidades, programas regulares de actualização desses mesmos profissionais. Um especialista poderá obter um comprovativo de treino avançado e poderá escolher onde realizar o treino.
Presidential Address to the Federal Assembly.
Também vamos continuar a melhorar o nível da Tecnologia da Informação (IT) do sistema de saúde pública, para facilitar o procedimento da marcação de consultas médicas e de manutenção de registos. É importante libertar os médicos das tarefas rotineiras, da necessidade de preencher inúmeros relatórios e declarações e dar-lhes mais tempo para atenderem os pacientes.
A tecnologia da informação (IT) também será usada para aumentar significativamente a supervisão do mercado de medicamentos vitais. Ela tornará possível descartar  produtos falsificados e ilegais e lidar com preços inflacionados na aquisição de medicamentos para hospitais e clínicas ambulatórias.
Proponho ligar todos os hospitais e ambulatórios do nosso país à Internet de alta velocidade, nos próximos dois anos. Esta medida permitirá aos médicos que exercem a sua profissão em cidades ou vilas afastadas, usarem as vantagens da tele Medicina e receberem rapidamente o parecer dos seus colegas que trabalham em clínicas regionais ou federais.
Gostaria de chamar a atenção do Ministério das Comunicações e da Comunicação Social Mediática. O Ministro garantiu-me que esta tarefa é absolutamente realista e viável.
Acabo de mencionar este assunto no meu discurso e agora todo o país seguirá esta questão cuidadosamente.
Considerando a geografia da Rússia, as suas vastas extensões e certas áreas pouco acessíveis, o nosso país precisa de um serviço de ambulância aérea bem equipado. No próximo ano, o programa das ambulâncias aéreas abrangerá 34 regiões, que receberão financiamento do orçamento federal.
Em primeiro lugar, refiro a Sibéria, o Norte e o Extremo Oriente. Para este efeito, (os parlamentares deverão sabê-lo porque, em parte, foi da sua iniciativa), em 2017, atribuiremos 3,3 mil milhões de rublos para pagar os serviços de aviação no âmbito do projecto do desenvolvimento de ambulâncias aéreas (a proposta deverá ser adoptada na segunda leitura).
Educação
Colegas, em todos os cantos do nosso vasto país, as crianças têm de ser capazes de estudar num espaço agradável, moderno e amigo do ambiente. Deste modo, vamos continuar o programa de reconstrução e renovação das escolas. Não haverá mais edifícios escolares degradados e em ruínas, sem comodidades básicas.
É necessário resolver, definitivamente, o problema do terceiro turno e esperamos eliminar também, o segundo turno. Claro que temos de fazer um esforço extra para melhorar as qualificações dos professores. Como sabem, está a ser elaborado um programa para expandir o número de estudantes assistidos por instituições educacionais em 2016. Este programa está planeado para o período de 2016 a 2025, com um custo previsto de 25 biliões de rublos/ano.
A propósito, todos sabemos que o mesmo é da responsabilidade das regiões. No entanto, decidimos apoiar as regiões nesta iniciativa importante. No total, de 2016 a 2019, planeamos criar 187.998 novas vagas para estudantes nas escolas.
Ao mesmo tempo, a maior preocupação para os pais e professores e para o público em geral, é o conteúdo do processo da educação e como é que a educação escolar gere os dois objectivos básicos que o ilustre Dmitry Likhachev, designou: ministrar o conhecimento e promover a moralidade. Ele acreditava, com razão, que a moralidade é a base que determina a viabilidade da sociedade: a sua sustentabilidade económica, pública e criativa.
De facto, é importante preservar a profundidade e a solidez da educação nacional. As composições regressaram ao currículo escolar, e está a ser dada mais atenção às humanidades.
No entanto, as horas das aulas, de acordo com o currículo escolar, não serão distintamente suficientes. Precisamos de projectos sobre Teatro, Cinema, Televisão e Museus e sobre a Internet, que são de interesse para os jovens; que atraem a atenção dos jovens para a Literatura Clássica, Cultura e História da nossa nação.
As nossas escolas devem promover a criatividade. As crianças devem aprender a pensar de forma independente, a trabalhar por conta própria e como parte de uma equipa, lidar com tarefas pouco habituais, formular e atingir metas, que irão ajudá-las a ter uma vida interessante e próspera.
Muitas experiências foram realizadas em escolas russas e no estrangeiro. Devemos considerar as experiências cuidadosamente, mas é claro que devemos avançar. Devemos promover a cultura da Pesquisa e do trabalho de Engenharia.
Dentro de dois anos,  o número de centros científicos inovadores para as crianças aumentará para 40. Eles servirão de base para o desenvolvimento de uma rede de grupos de projectos técnicos em todo o país. As empresas, as universidades e os institutos de investigação devem contribuir para que os nossos filhos sintam, indubitavelmente, que todos têm igualdade de oportunidades e um começo igual na vida, que a Rússia precisa das suas ideias e conhecimentos e que podem provar o seu valor nas empresas e nos laboratórios russos.
Podemos ver o sucesso do Centro Educacional Sirius, para crianças super dotadas. Acredito que precisamos de uma rede desses centros e proponho que as autoridades regionais considerem a criação de centros para crianças super dotadas nas suas universidades e escolas mais conceituadas.
Ao mesmo tempo, há vários pontos que gostaria de salientar. O nosso sistema educativo deve basear-se no princípio de que todas as crianças e adolescentes são dotados e podem ser bem sucedidos na ciência, nas áreas criativas, no desporto, nas carreiras e na vida. A nossa tarefa é ajudá-los a desenvolver as suas aptidões. Quando eles são bem sucedidos, a Rússia também prospera.
Colegas, considero a geração jovem como o alicerce digno de confiança da Rússia num século XXI, complicado e turbulento. Acredito que os jovens são capazes não só de enfrentar desafios, como também de contribuir para o desenvolvimento do programa intelectual, tecnológico e cultural do aperfeiçoamento global.
Não é de surpreender que tantos alunos de escolas e universidades participem em projectos voluntários em áreas vitais como atendimento a pacientes, assistência a idosos e a pessoas com deficiência, educação, desporto, cultura, História local, expedições de socorro e protecção da Natureza e da vida animal.
Voluntariado
Uma característica do nosso tempo é que existe um grande número de pessoas prontas para contribuir a favor de todos os tipos de iniciativas de caridade, através das comunicações mediáticas sociais, tais como petições e angariação de fundos para tratar os doentes ou ajudar crianças. Muitas pessoas são rápidas a responder a tais apelos e fazem-no sinceramente, sem procurar obter qualquer lucro.
Às vezes é até surpreendente, ver pessoas que não ganham muito dinheiro, mas que têm o desejo de ajudar os que precisam.
Peço à Câmara Cívica e à Agência de Iniciativas Estratégicas que sejam rápidas no apoio a organizações voluntárias, instituições de caridade e organizações sem fins lucrativos. Através do seu compromisso e generosidade, as pessoas que contribuem para esses projectos promovem esforços colectivos, que a Rússia tanto necessita, neste momento. Elas criam um potencial social significativo, que deve ser usado de forma eficaz.

É necessário evitar todas as barreiras que minam o desenvolvimento do movimento voluntário e fornecer, igualmente, toda a assistência que as organizações sem fins lucrativos possam precisar. As principais decisões a este respeito já foram tomadas. A partir do próximo ano, as organizações sem fins lucrativos com a experiência requerida, serão autorizadas a prestar serviços sociais financiados pelo orçamento do Estado.
Colegas, gostaria de chamar a atenção de muitos de vós e quero ter a certeza de que os governadores e as autoridades municipais escutam o que eu digo. Peço-vos que não sejam, como se costuma dizer, gananciosos, que se abstenham de trabalhar apenas com as instituições estatais e que permitam às organizações sem fins lucrativos prestar o máximo possível de serviços sociais. É muito importante estabelecer relações cordiais com as pessoas. Proponho que todos estejamos atentos a estas questões.
O que todos nós queremos, é melhorar a qualidade dos serviços sociais que envolvem as organizações sem fins lucrativos nesta esfera. Solicito ao Governo e ao Parlamento para ultimarem os esforços para  a criação de um quadro jurídico claro para as organizações sem fins lucrativos, como prestadores de serviços socialmente importantes e para estabelecerem requisitos em termos de competência, sem criar burocracia adicional, evidentemente. Devemos valorizar a atitude exigente, estimulante e comprometida  do povo, nesse sentido.
 Presidential Address to the Federal Assembly.
Desenvolvimento Urbanístico
Gostaria de dirigir-me, mais uma vez, a muitos de vós com o apelo de não se esconderem nos vossos gabinetes e de não temerem o diálogo com as pessoas, mas ir ao encontro delas, falar-lhes honesta e abertamente e apoiarem as suas iniciativas. Isto é particularmente importante em questões de desenvolvimento urbano e questões relativas à preservação do património histórico e à criação de um ambiente de vida moderno.
Infelizmente, por vezes esses assunto são decididos nos corredores e quando tal acontece, é difícil deixar de perguntar: "Tem a certeza de que, aquilo que está a propor é a melhor sugestão que você aconselha, baseada apenas nas opiniões escutadas nos gabinetes das autoridades? Não será melhor consultar as pessoas e perguntar-lhes o que é que elas querem ver nas ruas, nos jardins, nos parques e represas, nos campos desportivos e nos parques infantis? "
No próximo ano, vamos enviar 20 biliões de rublos para os programas de desenvolvimento urbano das regiões, incluindo cidades de uma única indústria. Por uma questão de princípio, os residentes devem tomar parte na decisão de como esse dinheiro deve ser gasto e quais os projectos que devem ter prioridade. Peço à Frente Popular Russa que também participe activamente neste trabalho. Precisamos organizar uma supervisão eficaz deste trabalho de modo a garantir resultados concretos, que as pessoas querem ver e devemos apoiar as pessoas que desejam participar nestes projectos de desenvolvimento urbano.
Meio Ambiente, Ecossistemas
É importante que a sociedade civil participe activamente na resolução de questões como a melhoria da legislação em matéria de protecção do ambiente, de espécies raras de plantas e animais e o estabelecimento de um sistema humano e caridoso para lidar com animais vadios/abandonados.
Declaramos o próximo ano de 2017, como o Ano do Meio Ambiente. Estou a instruir o Governo para elaborar programas de protecção para esses símbolos únicos da natureza russa que são o Volga, o Lago Baikal e o Lago Teletskoye, no Altai.
Precisamos limpar as áreas poluídas em todo o país e limpar os lixos acumulados que cresceram nos arredores de muitas cidades, como escutamos recentemente de activistas da Frente Popular Russa. Este problema não somente existe nas grandes cidades, como também nos pequenos povoados.
Redes Rodoviárias
Moscovo e São Petersburgo já estão a elaborar programas em larga escala de modernização rodoviária. A partir do próximo ano, vamos começar projectos semelhantes noutras cidades importantes, em áreas urbanas que albergam cerca de 40 milhões de pessoas. Nos próximos dois anos, pelo menos metade das estradas devem ser modernizadas. Neste momento, não entro em mais detalhes. A decisão foi tomada e foram reservados os fundos necessários. Agora, só precisamos trabalhar de forma eficaz.
Vamos também dar a necessária atenção às estradas federais importantes e construir a ponte para a Criméia, que é um projecto de infra-estrutura de importância nacional. A data da construção dessa ponte está a ser programada.
Sanções
Colegas, há dois anos, enfrentamos sérios desafios económicos e uma situação difícil nos mercados globais. Enfrentamos sanções que foram uma tentativa para nos fazer dançar a melodia dos outros e ignorar os nossos próprios interesses nacionais e fundamentais.
Mas permitam-me repetir que as principais razões da nossa desaceleração económica, encontram-se, sobretudo, nos nossos problemas internos e, principalmente, na falta de recursos de investimento, de tecnologia moderna, de recursos humanos profissionais, de concorrência insuficiente e de falhas no nosso clima de negócios. Presentemente, o sector real da economia parou de cair e constatamos um pequeno aumento na produção industrial. No ano passado, o nosso PIB caiu cerca de 3,7 %, mas considero que este ano, o número será pequeno. Sobre os primeiros 10 meses de 2016, veio a 0.3 % e penso que o número final será próximo deste.
Os programas de apoio a uma série de sectores industriais, incluindo o mercado da habitação, têm desempenhado um papel importante. Vou agora falar mais sobre este mesmo assunto. Observamos o aumento da produção industrial e é pequeno, mas a tendência é positiva e devemos certamente diligenciar mantê-lo.
Habitação e Mercado Imobiliário
Quanto ao mercado imobiliário, mais de 85 milhões de metros quadrados de habitações chegaram ao mercado em 2015. Foi um recorde histórico para o nosso país.
Estas habitações devem ser vendidas  e, efectivamente, precisamos de aumentar o poder de compra das pessoas. Vou adiantar mais sobre este assunto, em relação aos nossos programas de apoio hipotecário.
Continuaremos a prestar assistência orientada para os sectores económicos que ainda estão confrontados com uma situação negativa. Já mencionei que o crescimento modesto da produção industrial está, presentemente, a progredir.
Indústria Automóvel
Testemunhamos um ligeiro declínio geral na indústria automóvel, embora tenha havido um aumento de 14.7% nos camiões, acima de 2.9%, nos veículos comerciais ligeiros e superior a 35.1%, nos autocarros. Na engenharia ferroviária, há um crescimento de 21,8% e nos veículos de carga o aumento foi até 26%. A maquinaria e equipamentos agrícolas têm mostrado um impulso muito bom de 26,8%. A indústria ligeira também está a confirmar uma tendência ascendente.
Estabilidade Macroeconómica e Reservas Financeiras
Temos assegurado a estabilidade macroeconómica, o que é muito importante e mantivemos as reservas financeiras. As reservas de ouro e moeda do Banco Central não diminuíram, mas chegara mesmo a crescer. Considerando que em 01 de Janeiro de 2016,  totalizavam US $ 368,39 bilhões, actualmente atingem US $ 389,4 - quase 400 biliões. Neste sector, também, presenciamos dinâmicas positivas.
Inflação
Esperamos uma queda significativa da inflação até ao final deste ano, para menos de 6%. Neste ponto, também, gostaria de citar alguns números. Se bem se recordam, a taxa de inflação em 2015 foi de 12,9%. Espero que, este ano, não suba acima de 6% e que pare em cerca de 5,8 por cento. Obviamente bom. Dinâmica positiva.
Permitam-me lembrar que a menor taxa de inflação foi registada em 2011 – foi de 6,1%. Vou repetir, este ano pode ser ainda menor. Isso significa que no próximo ano, poderíamos atingir o objectivo de 4%. Este é um pré-requisito muito bom para alcançar um crescimento substancial, dependente de uma economia saudável.
Política de Recuperação Sustentável e Desenvolvimento Agrícola.
Contudo, gostaria de salientar que a estabilização não significa uma transição automática para uma recuperação sustentável. Se não abordarmos os problemas implícitos à economia russa, se não lançarmos novos factores de crescimento com toda a força, a recuperação económica estagnar-se-á durante anos e teremos de restringir e economizar constantemente, de protelar o desenvolvimento. Não podemos permitir essa situação.
Seguiremos outro caminho, que exige uma declaração exacta de objectivos e um trabalho faseado e baseado em sistemas, para alcançar esses objectivos. Esta abordagem  produziu, mais de uma vez, resultados positivos significativos e num período de tempo bastante curto. Houve ocasiões em que pensávamos que os nossos problemas de agricultura existiriam para sempre. Sabemos o que foi dito sobre esse assunto e como ofendeu os nossos agricultores, quando falámos sobre a agricultura como uma espécie de buraco negro, que podia engolir qualquer quantia de dinheiro e, mesmo assim, não produzir resultados. Não, isso acabou, descobriu-se que mesmo esse sector poderia ser reorganizado. Encontramos soluções ponderadas, adoptamos um programa estatal, criamos um sistema flexível de apoio aos produtores e empresários agrícolas e hoje a agricultura é uma indústria de sucesso, que alimenta o país e que está a conquistar mercados internacionais.
Mas como diz o provérbio, cada má situação tem o seu lado bom. Os nossos parceiros impuseram as sanções que mencionei e tomamos medidas como resposta e, ao mesmo tempo, acabamos por ajudar os nossos produtores agrícolas, no mercado interno. No entanto, eles devem acautelar que esta situação não pode e, provavelmente, nem vai continuar para sempre e, de qualquer modo, os consumidores precisam de um ambiente de mercado competitivo. Portanto, os nossos produtores devem aproveitar ao máximo, a actual situação favorável.
As exportações de produtos agrícolas produzem hoje, mais receitas do que as exportações de armas. Provavelmente, só muito recentemente, poderíamos imaginar que tal coisa seria possível. Já falei publicamente sobre este facto e hoje, posso referi-lo novamente. Aliás, no que diz respeito às nossas exportações de armas, ainda somos um concorrente sério nesse mercado. As nossas exportações atingiram o valor de US $ 14,5 biliões em 2015 e as nossas exportações de produtos agrícolas ascenderam a US $ 16,2 biliões. Este ano, esperamos um valor de US $ 16,9 biliões, o que é muito bom. Temos de agradecer aos nossos trabalhadores do sector agrícola a existência inequívoca deste resultado.
Quando se trata de desenvolver o sector da agricultura, muito depende das regiões. Penso que devemos dar-lhes maior independência na definição das prioridades para o uso de subsídios federais para o sector agrícola. O volume de subsídios deve estar associado ao aumento de terras cultivadas, rendimentos e outros indicadores quantitativos de produção efectiva. Essa medida incentivará os produtores a cultivar terras agrícolas em pousio e a usar tecnologia agrícola avançada.
Neste momento, gostaria de salientar que, se damos às regiões mais independência no uso do orçamento e do apoio federal, essa mesma independência gera maior responsabilidade de produzir resultados e de investir os recursos recebidos, de fortalecer a sua própria base económica, de resolver dificuldades e problemas sociais no sector da habitação e dos serviços públicos.

A fim de dar aos nossos agricultores maiores oportunidades de encontrar mercados, temos de prestar maior atenção ao apoio às cooperativas agrícolas. Peço ao Ministério da Agricultura, ao Rosselkhozbank (Banco Agrícola] e à Rosagroleasing [ Instituição de Crédito à Agritultura] que se debrucem sobre este assunto, bem como à Corporação para o Desenvolvimento de Pequenas e Médias Empresas, que receberá uma injecção de capital de 13 mil milhões de rublos, no próximo ano.
Presidential Address to the Federal Assembly.


Indústria da Defesa
Efectuamos  uma grande modernização nas nossas empresas da indústria da defesa, o que originou um aumento da produção e, o mais importante, um aumento significativo da produtividade do trabalho. A indústria de defesa publicou resultados muito bons e dá um bom exemplo. Em 2016, esperamos que o crescimento da indústria de defesa atinja 10,1% e um aumento da produtividade do trabalho de 9,8%.
Devemos direccionar a indústria da defesa para a produção de produtos civis competitivos actualizados nas áreas da saúde, energia, aviação e construção naval, exploração espacial e outras indústrias de alta tecnologia. A parcela de produtos civis deve aumentar para, pelo menos, um terço da produção total da indústria da defesa nos próximos 10 anos.
Recentemente,tivemos uma reunião sobre esta questão, ou melhor, várias reuniões e quero partilhar os nossos planos convosco. Em 2016, os produtos civis atingirão 16,1% da produção da indústria da defesa e planeamos aumentar ligeiramente essa percentagem até 2020. O aumento será relativamente pequeno, porque o Ministério da Defesa colocou muitos contratos de rearmamento, a serem produzidos por esta indústria. A parcela de artefactos civis atingirá 30% em 2025 e, pelo menos, 50% em 2030.
Encarrego o Governo de organizar o trabalho sistemático para alcançar esses objectivos com o apoio das nossas instituições de desenvolvimento, incluindo o Vnesheconombank (VEB), o Centro de Exportação da Rússia e o Fundo de Desenvolvimento da Indústria.

Indústria da Tecnologia de Informação

A indústria da Tecnologia da Informação é um dos sectores que se desenvolve mais rapidamente, o que é encorajador. As empresas russas de TI duplicaram as suas exportações nos últimos cinco anos. Acabei de citar os números da indústria da defesa e da agricultura: o valor para a indústria de Defesa é de 14,5 biliões de dólares. As nossas exportações de TI, ainda recentemente, eram quase nulas, mas, presentemente, subiram para US $ 7 biliões.
Esta mesma indústria também melhorou outros indicadores de desempenho, tais como as receitas e pagamentos de impostos, em parte devido à redução do pagamento do seguro. O Ministério das Finanças não me recomendou dizer que todas essas conquistas foram devidas a incentivos, por isso, refiro que também usamos outros instrumentos de apoio, embora se deva admitir que os incentivos são muito importantes para apoiar as nossas empresas de Tecnologia da Informação. Este instrumento permitiu-lhes utilizar eficazmente o seu potencial intelectual inovador. No início do seu desenvolvimento, em 2010, os pagamentos de impostos das empresas de TI chegaram a pouco mais de 28 biliões de rublos, se bem que, passados dois anos, o valor chegou a 54 biliões de rublos. Podeis avaliar o crescimento por vós mesmo. Considerando os incentivos, o défice nacional da receita foi de apenas 16 biliões de rublos. Por outras palavras, até o próprio orçamento federal beneficiou com o crescimento das empresas de TI. Para manter essa tendência positiva, proponho que prolonguemos esses incentivos até 2023. Estou confiante de que a indústria de TI pode tornar-se um dos nossos principais sectores de exportação dentro de 10 anos.
Em suma, temos um bom potencial para aumentar as exportações de bens que não são matérias primas ou produtos primários. Ao mesmo tempo, vemos o proteccionismo a crescer no mundo e, infelizmente, a serem erguidas barreiras comerciais. Posso dizer-vos que, recentemente, tive uma reunião com os meus colegas em Lima, no Peru, e discutimos assuntos sobre o comércio mundial. Um dos principais problemas é o proteccionismo crescente. Mas o que é que ele significa para nós? Significa que devemos lutar pelo acesso aos mercados externos de forma mais activa e decisiva. A intensa competição internacional irá amenizar e fortalecer a nossa economia e garantir que as empresas russas alcancem um novo nível de eficiência, de qualidade de bens e serviços e de produtividade do trabalho.

Directrizes da Política Económica e Fiscalidade

Os exemplos que citei anteriormente mostram que já estamos a mudar a estrutura económica de maneira convergente, modernizando os sectores correspondentes, criando novos e estabelecendo empresas modernas que podem trabalhar nos mercados internacionais. É essencial continuar a avançar nessa direcção de maneira sistemática e comprovada. Não necessitamos de cenários abstractos, que são na maior parte insignificantes, mas de uma previsão de desenvolvimento profissional, minuciosamente calculada. É importante definir claramente como um melhor clima empresarial, os grandes projectos de investimento, uma expansão das exportações de serviços e não-mercadorias e o apoio às pequenas e médias empresas irão contribuir para o crescimento económico e qual será o papel das regiões e de determinados sectores produtivos.
Aconselho que o Governo, juntamente com as principais associações empresariais desenvolvam, o mais tardar em Maio de 2017, um plano de acção pormenorizado até 2025, cuja aplicação permitirá alcançar taxas de crescimento económico mais elevadas do que no resto do mundo, a partir de 2019-2020, e, por esta razão, reforçar as posições da Rússia na economia global.
Senhoras e Senhores Deputados, insisto que é importante que este plano seja apoiado e confiado à comunidade empresarial para que os empresários se envolvam activamente na sua execução. É óbvio que hoje,(já falamos sobre esse assunto, mais de uma vez),  há uma exigência crescente na sociedade  no que diz respeito à expansão das liberdades económicas, às regras estáveis, firmes ​​e previsíveis de fazer negócios, incluindo o sistema tributário.
Podem recordar que, em 2014, tomamos a decisão de não alterar os requisitos fiscais existentes para as empresas, relativamente aos próximos quatro anos. Não os revisámos apesar das mudanças na situação económica, que, sem dúvida, tiveram um impacto positivo no desempenho das empresas.
Ao mesmo tempo, devemos orientar o nosso sistema tributário para funcionar em direcção ao  objectivo principal, que é: estimular a actividade empresarial, garantir o crescimento económico e o investimento e criar um ambiente competitivo para o desenvolvimento das nossas empresas. É necessário racionalizar os benefícios fiscais existentes, tornando-os mais direccionados e abandonar os instrumentos ineficazes.
Sugiro que, no próximo ano, façamos uma análise detalhada e abrangente das propostas para aperfeiçoar o sistema tributário e devemos incluir, por todos os meios, as associações empresariais nesse esforço. Apesar do calendário político interno, ainda precisamos redigir e adoptar em 2018, todas as emendas necessárias às leis e ao Código Tributário, para que possam entrar em vigor em 1 de Janeiro de 2019, estabelecendo, a longo prazo, regras novas e estáveis.
Ao mesmo tempo, peço ao Governo que analise oportunidades de melhorar os mecanismos que garantam a estabilidade do orçamento e das finanças públicas, cumprindo todos os nossos compromissos independentemente dos factores externos, incluindo o preço do petróleo e do gás.
Continuando, examinámos a estrutura legal que regula a actividade empresarial. Na fase actual, é importante garantir que as disposições adoptadas sejam aplicadas, especialmente nas regiões. Permitam-me chamar a vossa atenção para o facto de que, em todas as regiões do país, os serviços básicos prestados às empresas, como licenças de construção, acesso à infraestrutura e assim sucessivamente, devem ser coerentes com os requisitos das leis federais e com as melhores capacidades das regiões.
Colegas, discutimos esta questão durante uma reunião recente realizada, creio, em Yaroslavl. Este assunto não pode ser tratado superficialmente. É uma área extremamente importante para o nosso trabalho em conjunto. Acompanharemos atentamente a evolução das regiões e avaliaremos o desempenho das autoridades regionais utilizando estes indicadores. É uma tarefa importante que deve ser alcançada já no próximo ano. Ao fazê-lo, vamo-nos certificar de que todas as regiões da Rússia funcionam dentro de um único ambiente de negócios e que todas elas fornecem serviços de qualidade para a comunidade empresarial.
Durante muitos anos, temos discutido o problema da racionalização das actividades dos órgãos reguladores e de supervisão. A partir do próximo ano, eles tornar-se-ão muito mais transparentes ao divulgarem ao público dados sobre quem inspecciona quem, com que frequência e quais os resultados alcançados.
Esse método irá proporcionar a oportunidade de responder prontamente aos abusos e a todas as violações dos direitos dos empresários, que possam ser levadas a cabo por um inspector. Não mencionarei a lista de todas as decisões que foram adoptadas para este efeito. Há algumas, então tudo o que precisamos é ter a certeza de que são efectuadas. Devemos acabar com as instruções que não têm nada a ver com a qualidade dos serviços ou com a segurança, criando barreiras insuperáveis ​​para as empresas.
Permitam-me chamar a atenção do Governo para que os órgãos de regulamentação e fiscalização acelerem o seu trabalho a fim de introduzir uma abordagem baseada na avaliação dos riscos que permita reduzir substancialmente o número de inspecções, tornando-as mais eficazes. Acrescento que os órgãos de fiscalização devem preocupar-se não apenas com a identificação das violações, mas também com a prevenção e não apenas através de medidas formais, mas em substância e é muito importante, que prestem assistência consultiva aos empresários, especialmente, aos que estão a iniciar os seus negócios .
Política Empresarial
Já dei instruções directas para assegurar que o trabalho dos empresários por conta própria não seja considerado uma actividade comercial ilegal. Não devemos começar a criar problemas a essas pessoas por meio de pretextos inventados. A fim de excluir a possibilidade de que surja este tipo de situação, peço-vos que, no próximo ano, formulem um estatuto jurídico claro para os trabalhadores independentes, a fim de lhes dar a oportunidade de trabalhar, calma e regularmente.
Todas as pessoas envolvidas em negócios honestos, independentes ou contratadas, devem saber que as autoridades estatais e a sociedade estão a seu favor. Não é justo  enquadrar todos, exactamente, sob as mesmas condições. Devemos dar às pessoas uma maior liberdade, criando condições para a realização de actividades que lhes proporcionem respeito, prosperidade e sucesso. Tudo o que limita essas oportunidades e viola os direitos das pessoas, é injusto.
No discurso do ano passado, falei sobre a pressão dos negócios praticada por alguns funcionários das instituições de aplicação da lei. Muitas vezes, este tipo de acção leva  empresas bem sucedidas ao colapso e que os activos sejam retirados a essas pessoas.
Quero agradecer aos deputados por apoiar o projecto de lei que reforça consideravelmente as sanções penais contra os agentes responsáveis pela aplicação da lei, por inventarem casos, inclusivamente com o objectivo de dificultar o trabalho dos empresários.
Medidas contra a Corrupção
Quero dizer algumas palavras sobre a luta contra a corrupção. Nos últimos anos, vimos um número considerável de casos de acções movidas contra funcionários ao nível local, regional e federal. Sublinho que a maioria dos funcionários públicos são pessoas honestas e decentes que trabalham para o bem do nosso país. Mas nem o gabinete de alguém, nem as ligações com altos dignatários ou serviços passados, ​​podem servir de escudo para funcionários corruptos. Ao mesmo tempo, e quero salientar este ponto, ninguém tem o direito de pronunciar a culpa ou a inocência de uma pessoa antes do tribunal ter emitido um veredicto.
Infelizmente, tornou-se prática comum provocar alarme na comunicação mediática sobre esses casos. Constatamos que os funcionários dos orgãos de aplicação da lei,também  são, muitas vezes, culpados dessa situação. Quero fazer sobressair que a luta contra a corrupção não é um espectáculo. Exige profissionalismo e uma abordagem séria e responsável. Só então produzirá resultados e receberá o amplo apoio da sociedade.
Colegas, é óbvio que as restrições externas e o aumento da taxa de endividamento interno reduziram a disponibilidade de recursos financeiros para as empresas e indivíduos. No entanto, o sistema bancário tem sido capaz de substituir empréstimos externos para as nossas empresas e estabilizar a situação e isto é um facto óbvio.
Actualmente, precisamos de reforçar a actividade empresarial, a implementação de grandes projectos económicos e financiamento disponível, especialmente porque a inflação está a cair, como já referi – o que  cria condições objectivas para tornar os empréstimos bancários mais baratos. Repito, a situação melhorou ligeiramente, mas apenas para os sectores individuais. Em geral, os empréstimos à economia ainda apresentam uma dinâmica instável.
Política de apoio ao Sistema Bancário
Injectamos 827 biliões de rublos no sistema bancário, que fazem parte do programa de apoio à luta contra a crise de 2015-2016. De acordo com as estimativas, esse recurso permitiu aos bancos aumentar significativamente o crédito para os sectores não financeiros.
No entanto, o volume destes empréstimos não tem crescido este ano; desceu mesmo ligeiramente. Sou conhecedor dos cálculos em rublos e em moeda estrangeira, mas o declínio ainda acontece, mesmo tendo em conta a diferença de câmbio. Gostaria que os especialistas, que acreditam que as diferenças cambiais são importantes, tomassem nota deste ponto.
Na verdade, é incontestável que a taxa do rublo mudou em relação ao dólar e ao euro. Este facto tem de ser levado em conta, mas mesmo assim, o declínio dos empréstimos é evidente.
Não há dúvida de que necessitamos estimular os empréstimos ao sector real. Mas a questão chave permanece: Que métodos e meios devemos usar para fazê-lo? É óbvio que só os bancos estáveis e com uma sólida reserva de capital estão em condições de desenvolver empréstimos.
Este ano, os bancos russos recuperaram a sua lucratividade. O lucro desse sector para os 10 meses do ano passado foi de 193 biliões de rublos e subiu quase quatro vezes, para 714 biliões de rublos para o mesmo período deste ano.
Aliás, graças aos esforços consistentes e decisivos do Banco Central, o sistema bancário está a ser libertado dos equipamentos que transgridem a lei, violam os direitos dos clientes e realizam operações financeiras duvidosas. Muitos deles, pelo menos os mais fracos, deixaram o mercado. O Banco Central fez um esforço para limpar o sistema bancário e, presentemente, continua a fazer esse trabalho. Essa tarefa constitui uma boa base para uma rápida recuperação da economia e para o desenvolvimento de empréstimos ao sector real.
Vários países ofereceram aos bancos incentivos para estimular o crédito ao sector real da economia. Alguns países também estão a discutir a possibilidade de estabelecer limites sobre o montante de empréstimos que os bancos podem colocar em instrumentos financeiros.
Não estou a dizer que devemos copiar cegamente tudo o que se faz no estrangeiro, tanto mais que a economia russa  e a sua estrutura diferem consideravelmente de outros países que estão a tomar essas medidas, mas podemos e devemos analisar estas práticas e pedir emprestado o que seria adequado, nesta situação.
Em muitos países, um sector financeiro não bancário trabalha de maneira bem sucedida. Também devemos desenvolver este sector, uma vez que isso nos permitirá trazer mais capital dos investidores e dos cidadãos para a economia, através de obrigações do tesouro e de outros mecanismos.
Este caso é algo que temos discutido há algum tempo. Espero que o Banco Central e o Governo elaborem propostas sobre o desenvolvimento do mercado financeiro. Este trabalho deve centrar-se, naturalmente, nas nossas tarefas de crescimento económico e quaisquer mudanças feitas não devem levar ao aparecimento de desequilíbrios macroeconómicos ou de bolhas na economia.
É muito importante apoiar os empréstimos às pequenas empresas. Por enquanto, este empréstimo continua a cair. Que passos adicionais devemos tomar a fim de mudar esta situação? As autoridades financeiras pensam que a mesma pode ser corrigida.
Os grandes bancos, por razões de escala e da complexidade das suas operações, aplicam requisitos rígidos, de acordo com as normas internacionais (alguns especialistas consideram que esses padrões são excessivamente austeros para a nossa situação, mas não vamos entrar agora em pormenores), mas os pequenos bancos regionais, que exercem a função vital de emprestar às pequenas empresas e ao público em geral, têm, habitualmente, operações bancárias mais simples e, portanto, podem funcionar de acordo com regulamentos e requisitos simplificados. Esses bancos representam apenas 1,5% do total dos activos bancários, o que não cria riscos para o sistema bancário como um todo. Este tipo de regulamentos do sistema bancário diferenciado permitiria aos clientes ir ao banco que melhor se adapte às suas necessidades e as pequenas empresas não teriam de competir com as grandes firmas, para obtenção de crédito.
Claro que a nossa exigência fundamental não mudou: cada nível de sistema bancário deve ser saudável e estável, de modo que os clientes e investidores estejam tranquilos sob a segurança dos seus fundos.
Colegas, para avançar para um nível de desenvolvimento mais elevado na economia e no sector social, precisamos da nossa própria pesquisa avançada e de soluções científicas. Devemos concentrar-nos em sectores onde um poderoso potencial tecnológico se está a acumular para o futuro, ou seja, nas tecnologias digitais e noutras tecnologias transversais que agora determinam todas as esferas da vida. Os países que geram tais tecnologias terão uma vantagem duradoura e uma oportunidade de gerar enormes receitas tecnológicas. Aqueles que não o fizerem serão colocados numa posição dependente e desfavorecida. As tecnologias transversais são tecnologias que podem ser aplicadas em todos os sectores, tais como tecnologias digitais, quânticas, robóticas, neurais e outras.
No entanto, devemos ser cautelosos com os riscos inerentes à tecnologia digital. Devemos reforçar a nossa protecção contra as ameaças cibernéticas e aumentar consideravelmente a estabilidade de todos os elementos da infraestrutura, do sistema financeiro e da governação do Estado.
Proponho o lançamento de um programa em larga escala para desenvolver uma economia de uma nova geração tecnológica, a chamada economia digital. Vamos contar com empresas russas e com centros científicos russos,  de pesquisa e de engenharia, para instalar este programa.
A independência nacional e tecnológica da Rússia, de facto, o nosso futuro dependem dessa mesma tecnologia digital. Precisamos de realizar um inventário para afastar as barreiras administrativas, legais e de qualquer outro tipo que impeçam o avanço do nosso negócio para os mercados existentes e emergentes da alta tecnologia. Devemos reservar recursos financeiros suficientes para esses projectos, inclusive estabelecendo esta tarefa para o VEB (Banco para o Desenvolvimento) renovado.
Precisaremos de pessoal qualificado, engenheiros e trabalhadores, que estarão prontos para cumprir as tarefas da próxima geração. Por esse motivo é que estamos a cooperar com as empresas para criar um sistema moderno de ensino profissional de formação de professores, para  o secundário, faculdade e escola profissional com base em normas internacionais avançadas.
Aumentaremos a percentagem de estudantes financiados pelo Estado, nas áreas de engenharia, TI e outros departamentos-chave dos quais depende o nosso desenvolvimento económico. No próximo ano, as nossas universidades mais destacadas, inclusive nas regiões, estabelecerão centros de competência, que fornecerão apoio intelectual e pessoal a projectos ligados ao aparecimento de novos sectores e mercados.
A investigação fundamental é um poderoso factor de acumulação de conhecimentos científicos e tecnológicos necessários ao crescimento económico e ao desenvolvimento social. Enfrenta uma dupla tarefa: avaliar e prever as tendências futuras e oferecer as melhores soluções para os desafios emergentes.
Na ciência, assim como em todos os outros sectores, promoveremos a competição e apoiaremos os mais fortes, aqueles que são capazes de produzir resultados práticos. A Academia Russa de Ciências e todas as organizações de pesquisa devem ter esses quesitos em conta. Continuaremos a construir a infraestrutura de pesquisa que nos permitirá realizar tarefas científicas de grande escala.
Já foram estabelecidos mais de 200 laboratórios no âmbito do programa de mega subvenções. Não seria exagero dizer que eles estão a funcionar a um nível global. São liderados por cientistas que determinam as tendências do desenvolvimento científico global (aliás, muitos deles são nossos compatriotas que, no passado, foram para o exterior).
Recentemente, reuni-me com um grupo de pesquisadores. Presentemente, muitos deles estão a passar a maior parte do seu tempo em laboratórios russos. Eles são bem sucedidos e apreciam o seu trabalho. Podem constatar por si mesmos, que a Rússia está a estabelecer tarefas científicas interessantes e a criar uma base sólida de pesquisa e condições de trabalho decentes.
Mas é claro que as pessoas têm o direito de compreender que existe um horizonte de trabalho e de planeamento e, neste contexto, peço-vos que assegurem o financiamento a longo prazo de projectos de investigação produtivos, em particular utilizando os recursos da Fundação da Ciência Russsa. 
É muito importante apoiar os jovens cientistas talentosos da Rússia e há muitos. Devem ter a oportunidade de estabelecer as suas equipas de pesquisa e de laboratórios. Para este efeito, será lançada uma categoria especial de subvenções de sete anos. Outros 3,5 biliões de rublos serão destinados a esses propósitos, bem como o desenvolvimento da infraestrutura de pesquisa e a abertura de novos laboratórios em 2017, além do já anunciado orçamento para a ciência.
Escusado será dizer que as actividades dos centros de investigação devem estar estreitamente integradas no sistema educativo, na economia e nas empresas de alta tecnologia. Devemos transformar nossos os projectos de pesquisa em produtos comerciais bem sucedidos. Este tema tem sido sempre um ponto fraco para nós. Muito tempo decorre desde as descobertas até à sua introdução e às vezes mesmo ... Este problema aplica-se não só à nossa época como também ao período soviético. Sucedia o mesmo no Império Russo. Devemos superar essa tendência e podemos fazê-lo. Para resolver este problema, lançamos a Iniciativa Nacional de Tecnologia há dois anos. É destinada a assegurar as posições de liderança das empresas e dos produtos russos nos mercados mais promissores do futuro.

Colegas, tudo o que referi hoje, todas essas prioridades estão definidas na Estratégia Nacional de Desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia. Assinei a ordem executiva, aprovando-a. 
A Continuar ...

Directrizes da Política Externa (parte final)
Post a Comment

assange



At midday on Friday 5 February, 2016 Julian Assange, John Jones QC, Melinda Taylor, Jennifer Robinson and Baltasar Garzon will be speaking at a press conference at the Frontline Club on the decision made by the UN Working Group on Arbitrary Detention on the Assange case.

xmas





the way we live

MAN


THE ENTIRE 14:02' INTERVIEW IS AVAILABLE AT

RC



info@exopoliticsportugal.com

BJ 2 FEV


http://benjaminfulfordtranslations.blogspot.pt/


UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00h UTC


By choosing to educate ourselves and to spread the word, we can and will build a brighter future.

bj


Report 26:01:2015

BRAZILIAN

CHINESE

CROATIAN

CZECK

ENGLISH

FRENCH

GREEK

GERMAN

ITALIAN

JAPANESE

PORTUGUESE

SPANISH

UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT


BENJAMIN FULFORD -- jan 19





UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT

PressTV News Videos