Labels

SUPPORT JULIAN ASSANGE

Tuesday, March 13, 2012

Português - Um Documento histórico - O Significado do Testemunho de Bob Dean ao Project Camelot por Steve Beckow




2012/3/9
Steve Beckow  


 
Como sempre, Ellen fez, amavelmente, a transcrição da passagem da entrevista de Kerry Cassidy a Bob Dean e a Clifford Stone que foca a viagem de  Bob à nave-mãe da Federação Galáctica (desde o minuto33 ao minuto 41).  Gostava de discutir essa viagem e o seu significado.

Há dois campos de trabalhadores da Luz que se opõem à cabala das trevas.

Um desses campos segue como fonte de informação os informadores e as pessoas colocadas em posições-chave dentro dos governos, das autoridades civis, militares e dos “black op”. O outro segue a informação das mensagens canalizadas que provêm das Entidades Celestiais, Mestres Ascensos e dos Seres Galácticos.


O primeiro campo observa a informação do Segundo como algo que não pode ser provado, muitas vezes não credível, fantástico, facilmente questionável, etc. O segundo campo olha para a informação do primeiro considerando-a útil até certo ponto, mas limitada em valor, parcial, aberta a interpretação, por vezes colorida e enganosa, etc.

Até este momento, estas duas alas seguiram linhas de investigação, mais ou menos, separadamente. Alguns comentadores podem combinar alguns elementos de ambas as partes, mas as duas alas muitas vezes chegaram a um confronto de ideias. Numa certa ocasião os seguidores do primeiro campo disseram que as pessoas do segundo campo punham em causa a sua credibilidade, especialmente sobre assuntos como OVNI’s/naves espaciais ou acontecimentos de falso alarme. As pessoas do segundo campo participaram em acontecimentos como a expedição do Neptuno que não se materializou e recebeu muita humilhação e foi mesmo, muitas vezes, ridicularizado pelo primeiro grupo. E assim aconteceu a sua história nos anos mais recentes.

Aqui entra Bob Dean. De acordo com a sua biografia, Bob passou 27 anos de serviço activo no Exército dos EUA onde se reformou como Comandante Sargento Major. Também serviu na Intelligence Field Operations  (nos serviços de Informação das Operações de Campo) e esteve destacado para os Quarteis Generais dos Poderes Aliados Supremos (SHAPE), o braço armado da NATO. A sua visão dos Assuntos Cósmicos Ultra Secretos abriu caminho para o seu estudo sobre OVNIs. Bob foi um informador de muita coragem e é respeitado por um largo espectro de trabalhadores da Luz.


Segundo ele, em Outubro 2011,teve uma Experiência de Quase Morte (NDE) e, em vez de lhe ser concedido partir e seguir para os planos astrais, Bob foi levado para bordo de uma nave mãe e encontrou-se com os seres galácticos, que lhe mostraram como seria a vida depois da mudança que irá acontecer no fim deste ano (ou mais cedo).


Assim, um membro muito respeitado do primeiro campo viu aquilo que nós, do segundo campo, temos estudado durante anos. Temos o mais respeitado representante do campo dos informadores, que verificou elementos mencionados pelo campo das canalizações. Isto é um exemplo de prova tangível que temos pedido mas, mais do que tudo, é a primeira vez que um membro de um campo verificou a informação do segundo.

Gostava de vos poder dizer o que aprendi (não tenho muitos segredos que foram partilhados comigo enquanto estive ausente, mas este é um deles) por outra pessoa que visivelmente esteve a bordo das naves mas decidiu que a sua vida iria mudar para pior se reconhecesse isso e, por isso, decidiu manter-se calado. Mas respeito a escolha dessa pessoa e não vou divulgar o seu nome.

Nem todos os que vão às naves estão preparados para testar esse acontecimento. No entanto, Bob, mais do que faz isso ao desejar sofrer as coisas desagradáveis que poderão acontecer e que não poderá evitar do destino extravagante, ao ir para a frente com este assunto e contar os factos do que está a acontecer, precisamente agora.

Por isso, se quiserem,  considerem que Bob derrubou o muro do silêncio sobre os seres galácticos,  a Ascensão e a Idade Dourada. Confirmou que há naves lá fora, que são tripuladas por seres humanos de outras civilizações,  que estão aqui para nos proteger e ajudar a ascender.

Considerem agora a posição de Kerry. Kerry leu Childhood's End (O fim da Infância) há alguns anos e, desde então teme que haja uma presença malévola que queira dominar a Terra. De facto, houve uma presença malévola, por isso ela não está errada. Mas essa presença foi afastada da Terra pelas alianças que servem a Luz, tais como a Federação Galáctica e o Comando Ashtar.

No entanto, o medo morre em alguns quadrantes. A tarefa de convencer comentadores como Kerry, e podia nomear alguns outros, implicava haver experiências pessoais da parte deles ou … bem, sabemos que os seres galácticos estão a desejar tudo menos uma exibição em massa que podia aterrorizar os terrestres – pelo menos, até que a cabala seja afastada. Até lá, Bob Dean e talvez outros como ele, que tenham estado nas naves e tenham estatura na comunidade dos informadores, serão o meio de aplacar os medos de comentadores como Kerry.

Penso que, certamente, e na devida altura, a divulgação de Bob (e foi-nos dito que a divulgação pode acontecer através de acontecimentos graduais e individuais como estes) ficarão na História como um ponto importante de transição. Bob estava numa posição única de ter um impacto real para poder unir os dois campos. Não estou certo se teremos Kerry, David Wilcock e Benjamin Fulford a ler SaLuSa na próxima semana, mas vimos um abrandamento das suas oposições relativamente ao campo dos seguidores das mensagens canalizadas.


Desejo que Graham Dewyea realmente entreviste Bob no seu programa radiofónico A Nossa Família Galáctica e dê a Bob uma plataforma amigável para entrar em mais pormenores nessa viagem. Podeis ver que Kerry deseja saber se os seres galácticos das dimensões mais altas serão credíveis, ou se nos abandonarão logo que tenham o seu trabalho feito, etc. O que é que Bob partilharia se estivesse a falar num espaço que compreendesse mais profundamente, em nosso nome, o empenho e o trabalho da nossa família do espaço?


Kerry Cassidy Entrevista Robert Dean e Clifford Stone


Este vídeo demora cerca de 1h30’. Se não tiverem muito tempo para escutar, a parte mais interessante vai desde o minuto
33:26 ao minuto 41:26


33:26 -- Kerry Cassidy: Há governos no exterior que também estão a ser contactados. Tal como os indivíduos estão a ser contactados, os governos também estão a ser contactado, não estão?

Clifford Stone: Sim.
.
KC: Ok. E assim essa dinâmica é que não temos uma situação política que se pudesse tornar instável, digamos, com o Irão, ou Coreia do Norte, ou a China, ou com o Paquistão, mas a ideia é que eles podem estar a fazer acordos com alguns visitantes do exterior, mas aqueles com que fizemos acordos, isto é,  os EUA, não continuam com eles. E há ainda assuntos dentro dos próprios Estados Unidos, dentro das forças armadas dos Estados Unidos. O Exército tem um grupo com quem eles estão a falar, a Força Aérea está a falar com outro grupo e a Marinha está a falar com outro grupo. Não é assim?

CS: Sim, mas você só tem um pequeno núcleo de pessoas que controlam toda a informação. E pode não ser o pessoal militar que está a fazer isso. E podem não ser os oficiais eleitos por vós.

KC: Certo.

CS: E isso é uma situação assustadora.

KC: Ok. Isso também é verdade. Temos um militar nos EUA que está muito descontente. E Bob, também pode falar disto. Teve um filho que tem trabalhado para essas pessoas, que deve escutar toda a espécie de coisas. E, por exemplo, tem-lhes sido dito para fazer certas coisas que eles sabem não ser do melhor interesse dos Estados Unidos. É verdade?

Bob Dean: Deixe-me dizer-lhe uma coisa. Não é fácil dizer que há pessoas boas e que há pessoas más, e que nós estamos no meio. Isso é verdade até certo ponto, e tem sido verdade durante os últimos dez mil anos, mas hoje, não é completamente verdade, porque um terceiro partido entrou no jogo. Uma cultura avançada – e Deus sabe quem são e o que são – mas são de alta posição no anti – como é que vocês lhe chamam? Na hierarquia?

Esses fulanos do topo da hierarquia são principalmente de natureza espiritual, e tiveram de intervir. E disseram, “Escutem, temos demasiado dessas mentiras pelas quais vocês lutaram muitas vezes, tiveram esses desacordos de clan,” e blá,blá,blá esta família e  aquela família, aquela cultura e aquele grupo, isso vai acabar.


Devido à raça humana estar no meio, durante tanto tempo, agora que atingiram um ponto crítico na sua evolução e no seu desenvolvimento. E vamos ter de ver se a raça humana sobrevive e torna isso numa transição desagradável e penosa para uma nova raça, para uma nova espécie. E este elemento mais elevado, este elemento mais espiritual da hierarquia, interveio. E disseram literalmente, Kerry, “ Subtrai o exagero. Não vamos ter mais disso. Não vai haver mais guerras planetárias. Já tivemos suficientes. Perdemos demasiados milhões de pessoas ao longo dos anos. Vamos controlar isso cuidadosamente. Vamos encorajá-los, vamos dar-lhe uma oportunidade, vamos ajudá-los a fazer essa transição desagradável para uma nova raça.” Agora, a única razão porque estou esperançado – quando estava habituado a verificar isto era muito deprimido e muito cínico. Porque vi tanta coisa a deitar a baixo. A provocar discussões, não apenas entre a nossa gente, mas entre alguns desses fulanos!

E então apercebi-me que havia um terceiro partido que agora está envolvido, que não podia tratar das disputas do clan e dos desacordos da família e tudo isso, tudo o que procuram é ver a espécie humana fazer essa transição perigosa para uma raça nova e podem alcançar e tomar o nosso lugar de direito no espaço e ir para as estrelas onde pertencemos, por amor de Deus.

KC: Ok. Mas é a intenção deles, foi o que lhe disseram que queriam fazer porque você foi levado para fora do mundo, supostamente por eles -

BD: Sim, fui. E eles encorajaram-me.

KC: OK.

BD: E mostraram-me o futuro, Kerry, e o futuro é glorioso! Vamos fazê-lo, e vamos olhar para trás, para este período perigoso, estas trevas em que temos estado durante o último século ou os dois últimos séculos, e vamos olhar para trás com se fossemos estudantes de História e dizer. “Meu Deus, vejam o que eles passaram! Olhem o que  fizeram uns aos outros!”

Iremos olhar para trás, no futuro, para este lugar e em particular para esta ocasião, e vamos dizer, “ Como é que fizeram isso? Aqui estão, a matar centenas de milhões de pessoas nestas guerras, a esquartejar-se uns aos outros! Isso tem de acabar! Não podemos deixar esta raça sair do planeta senão quando evoluírem e crescerem e amadurecerem até poderem ser salvos!”

KC: Ok, mas, Bob, estes – esta justificação, quando tivemos estas raças, raças de fora do planeta que estiveram a batalhar umas com as outras durante éons (milhares de milhares de anos)! Então talvez haja um novo fulano na área ….

BD: Deixe-me dizer-lhe uma coisa.

KC: ...Talvez esse novo fulano esteja a orquestrar as coisas aqui, mas, realmente, vou-me sentar e vou suspeitar mesmo desse fulano novo.

BD: Bom, está correcto suspeitar, e sei de onde isso provém.

KC: Leu o Childhood’s End?

BD: Falei sobre Joe Farrell não há muito tempo, noutra conferência. E Joe Farrell escreveu The Cosmic War. E  The Cosmic War (A Guerra Cósmica) é uma história verdadeira de uma Guerra entre inteligências interplanetárias. E quase que se destruíram literalmente uns aos outros! Por Deus, destruíram um planeta para lá de Marte, no nosso próprio sistema solar!

Mas esse exagero tem de acabar! E tive oportunidade de encontrar seres de um plano mais elevado que disseram, “Não vamos deixar que isso aconteça mais. Vamos dar-vos oportunidade de conseguir isso.” E a única razão porque estou esperançado é porque vi o futuro, e há um futuro para a raça humana, é muito belo!


KC: Ok. Aprecio isso, ok? Concordo consigo. Penso que, bastantes pessoas ao ouvir isto, irão concordar consigo. E o que quero fazer agora é manter os olhos no chão, precisamente agora. Quero falar sobre o que é direito perante as pessoas. Porque estamos em 2012, a caminho de 2013 e alguns destes anos vão ser cruciais para nós. OK? Como diz, vão ser os anos em que a transição vai acontecer, Por isso, isto …

BD: Está a acontecer precisamente agora.

KC: Precisamente. Por isso, antes de tudo, quero falar aqui, sim, você tem um bando de miúdos ruins na aula, ok? E são os Illuminati, alguns dos quais são basicamente governados por certos grupos de Reptilianos, certamente um grupo de Anunnaki que não tem o nosso bem em mente. Quiseram limpar o planeta, e elaboraram – elaboram grandes planos! E têm estado a trabalhar nesses planos há muito tempo. E ambos vós estivestes, frente a frente, com essa agenda/esquema.

BD: Os seus esquemas existem porque eles existem, e tiveram os seus próprios esquemas durante milhares de anos. Mas os seus esquemas para o nosso futuro não têm valor algum. Porque, lá fora, existem essas culturas altamente evoluídas, que agora estão a intervir. E vão ver que a raça humana poderá fazê-lo!


KC: Ok. Você disse e eu concordo. Mas o facto é que, a ideia aqui não é que ninguém venha, organize o pátio da escola para nós, e depois partam para ir resolver os seus negócios e que fiquemos sozinhos a lidar com isso. A ideia é que devemos aprender por nós próprios.

BD: Nós organizamos o pátio da escola, por nós!

KC: Ok. Então há grande necessidade que a raça humana adquira a soberania, para assumir o seu lugar de direito como membros da comunidade galáctica.

BD: Uma vez sob …

KC: E para reconhecer quem somos, e para …

BD: Logo que compreendam quem são, sim.

KC: … reconhecermos as dádivas que temos. OK? ...

BD: A raça humana é preciosa. A espécie humana é única, segundo o que me disseram – quando estive com eles seis semanas, fazia-lhes perguntas, umas atrás das outras. Vi que estavam tão interessados em mim, como eu estava neles! E perguntei-lhes porquê. E disseram, “Vós, os humanos, não compreendeis quem realmente sois! Tendes um genoma que é único na Galáxia. Sois constituídos pelos padrões, partes, peças e genes o que quer que seja de, pelo menos, 12 raças diferentes do Universo. E como resultado disso, pensamos que sois únicos. Como resultado disso, olhamos para o vosso pequeno planeta, provavelmente como um dos jardins zoológicos mais maduros e ricos, deste quadrante da galáxia.”

E foi a primeira vez que compreendi que a galáxia estava dividida em quatro partes! Nem sabia que havia um quadrante. E disseram, “Oh, sim, sois o jardim zoológico mais precioso e único deste quadrante da galáxia.”

KC: Absolutamente…

BD: “Veneramos o planeta, veneramos a flora e a fauna, e vamos ver o que sobrevive.” Agora, estou a receber isto de um nível mais elevado.

KC: Estou a ouví-lo, e a apreciá-lo. Por isso, Clifford, devido a ter sido ameaçado, ambos vós tivestes filhos que morreram em circunstâncias muito infelizes – não é verdade? E não digo que foi de uma maneira violenta. Mas o ponto comum aqui é que ambos sois informadores, ambos viestes para a vanguarda, ambos pusestes as vossas vidas em jogo, e ambos fostes ameaçados por muitos milhares de maneiras. OK? E as pessoas lá fora, as pessoas têm de compreender isso. Não estais aqui apenas para palrar, ou falar do que vos vem à cabeça.


CS: Como o Sargento Major estava a dizer, e como me foi dito,  somos uma raça neste planeta, que é capaz de coisas tão maravilhosas e belas.

BD: Possibilidades infinitas.

CS: Absolutamente de acordo. Mas ainda temos a possibilidade de fazer coisas tão horríveis aos outros. E penso que o Sargento Major estava a dizer o mesmo que eu, quando temos de crescer espiritualmente. Se não crescermos espiritualmente, vamos ser vítimas da nossa tecnologia. Eles não querem que isso aconteça.

KC: Ok.

CS: E ao princípio, o contacto inicial foi para que isso não acontecesse acidentalmente porque queriam que soubéssemos, “O outro lado não está a atirar sobre vós. Estamos aqui. E, de vez em quando, ireis apanhar-nos no radar. De vez em quando, iremos parecer ser mísseis a chegar de uma maneira ameaçadora. Portanto tereis de ter a certeza antes de lançardes a morte e a destruição, que realmente estais a ser atacados. Mas não podeis deixar que isso aconteça.

E como, na realidade, crescemos em compreensão, LOUCURA foi algo que eles colocaram em cima das nossas cabeças – e a LOUCURA assegurou a destruição mútua. Ides em frente, deflagrais um ataque surpresa aos Estados Unidos, iremos viver o tempo suficiente para vos destruir.

BD: Se vocês nos destroem, nós destruímos-vos.

KC: Absolutamente. Mas ainda estamos a lidar com isso. De facto, ainda estamos a lidar com algo como o Irão e Israel, onde vamos chegar a outra situação dessas. E tive agora um informador, que entrevistei na noite passada, que disse que havia outra situação igual à da Baía dos Porcos, com respeito ao Irão e à Venezuela, com mísseis que, supostamente. eram fornecidos à Venezuela pelos Iranianos, etc., etc., e realmente disseram que foram uns ETs do exterior do planeta que interferiram.

Agora, o que compreendo é que – e as pessoas não acreditam nisto – mas também tenho um informador que costumava montar a sua camera no seu deck em Los Angeles, e punha-a a filmar durante toda a noite, e filmava a luta, a guerra que acontecia entre nós e eles. E não eram os Russos ou os Chineses. Eram seres do exterior do planeta.

BD: Querida, eu conheço o Ed.

KC:E esse fulano foi morto.

BD: Eu conheço o Ed. E não eram guerras. Eram operações mas não eram guerras.

KC: Bem …

BD: Se fossem guerras lá fora, se fossem guerras cósmicas a acontecer à volta do nosso planeta, este planeta deveria estar muito mutilado.

KC: Mas ele está mutilado.

BD: Bom, não está mutilado quanto deveria ser!

KC: Oh, não, isso não é verdade.

BD: Bom …

KC: E o que pensa que os chemtrails estão a fazer? Estão a encobrir – entre outras coisas, que para lá de mudar a atmosfera para a tornar mais desejável para uma raça híbrida que os Grays criaram agora e que vai habitar este planeta a certa altura …

CS: Nunca habitarão este planeta.

KC: A raça híbria sim, irá habitar.  

CS: Não, não vão.

KC: Sim, vão.

CS: Não...

BD: Este planeta vai ser preservado, Kerry.

KC: Eles são humanos. São semi-humanos.

CS: Sim, mas nós somos humanos. Este é o nosso planta. Em resumo, o que fizermos com ele é da nossa conta.

BD: Somos a flora deste planeta. [risos] Somos a fauna deste planeta,

KC: Concordo, somos os que cuidamos. Desculpem, somos …

CS: E se houvesse uma força hostil que nos invadisse, iríamos defender-nos valentemente. Não podíamos ganhar sem ajuda externa, mas essa ajuda externa iria chegar e neutralizar a ameaça, e iria partir imediatamente logo que essa ameaça exterior, ou que essa ameaça fosse neutralizada. Sei que seria assim, Sim …

KC: Ok.

CS: ...nos primeiros anos, iríamos em frente, subíamos e tentávamos derrubar os OVNIs. Em 26 de Julho de 1952, foi dada uma ordem para derrubar os OVNIs.

BD: Revogaram-na rapidamente, não foi?

CS: Revogaram-na às  5:30 do mesmo dia.

BD: Sabes muito bem que fizeram isso.

CS: A União Soviética, até hoje, ainda controla os OVNIs – controla, permitindo que os seus pilotos abram fogo sobre os OVNIs.

BD:É um erro enorme.

CS: Absolutamente. E perderam aviões por causa disso. Em 2000, os Ingleses fizeram um relatório, que falava do pouco conhecimento que tínhamos do que – ou do que os Ingleses– ou o que fizeram os Russos quando os OVNIs os sobrevoavam.

[corte?]

Em Dezembto de 2000, os Ingleses divulgaram um relatório, e claro que as pessoas disseram, “Bem, os Ingleses adiantaram-se e disseram que não havia nada em relação aos OVNIs.” O relatório não dizia isso. O relatório vai mais longe,  fala de avistamentos nos radares, de avistamentos a partir de aviões e mesmo da possibilidade de acontecerem algumas quedas dos nossos aviões, dos aviões deles, devido ao avistamento de OVNIs.

Sabem, e escreveram no relatório, que os Soviéticos fazem tentativas para derrubar OVNIs e perderam aparelhos por causa disso. E tenho uma cópia do relatório completo.

KC: Ok. Mas se está a trabalhar, sabe que o nosso governo tem alianças com alguns desses grupos, e que alguns deles não são positivos. Por outras palavras, o que se sabe no planeta, precisamente agora, não é positivo em parte porque temos um grupo desonesto a governar os Estados Unidos, que não é o nosso governo tal como o conhecemos, outrora.

CS: E isso é a ganância dos homens.

 KC: Certo? Mas que também estão a trabalhar com um grupo de ETs.

CS: Sim.

KC: E, por esta razão, não são humanos contra humanos, não são humanos contra ETs, são humanos e ETs contra ETS.

CS: Pensa que os bons não nos estão a observar?

KC: Sim, de certeza.
.
CS: Digo-lhe agora, precisamente isto: Tendes pessoas neste planeta que não são o que parecem ser.

KC: Certo,

CS: Chamamos-lhes Observadores. E o ponto da situação é que eles não vão chegar e impor-nos a sua vontade. É necessário que, o que verdadeiramente aconteça, seja a vontade dos povos deste planeta. Mas tendes de fazer sacrifícios. Mas se os poderes que estão agora escolherem ouvir o lado do mal, eles deixarão isso acontecer durante algum tempo, mas logo que se torne numa ameaça para a Humanidade na totalidade, então, tal como disse o Sargento Major, uma força exterior vai avançar.

BD: Deixe-me dizer uma coisa, - se é que posso intercalar algo, Cliff – os bons do exterior – seja quem for que pense que eles são, e o restante  não importa – eles arquitectaram o fim da guerra fria. Vieram sobre os silos de mísseis, aqui nos Estados Unidos, planaram sobre esses silos de mísseis, onde tínhamos os mísseis balísticos intercontinentais que tinham 12 ogivas independentes, cada uma de uma mega tonelada e que estavam direccionados para a União Soviética. E a União Soviética tinha o mesmo aparato posicionado contra nós!

Bom, quando Reagan e Gorbatchev estavam no poder, esses fulanos bons desceram, planaram sobre os mísseis de silos, não só espatifaram os computadores, derreteram as ogivas dos nossos mísseis. E baralharam de tal modo os sistemas de orientação que se o míssil tivesse saído do silo, só Deus sabe onde é que teria caído -
Miami ou Schenectady, não teria importado, porque não teria explodido, teria apenas deixado um buraco no chão.

KC: Ok.

BD: Fizeram a mesma coisa à União Soviética de  Gorbachev’s, fora da área de St. Petersburg, fora de Moscovo. Planaram sobre as ogivas, derreteram-nas, danificaram os sistemas de orientação e acabaram com a guerra fria.

Aconteceu o mesmo, recentemente, na Floresta de Rendlesham, em Bentwaters. Falei com Charlie Halt, que era o Comandante, e disse: “Coronel, a palavra que tive, recentemente, de um general foi que eles esmagaram as ogivas e danificaram …”Ele disse “Esmagaram o diabo! Roubaram algumas delas!”

Esses são os bons. E os bons disseram a Gorbachev e a Reagan, e a quem os quis ouvir – e acreditem que os Chineses estavam a prestar atenção – Disseram, “Vocês, rapazes, não ides estragar este planeta, não ides destruir-vos, não haverá uma guerra nuclear. Vamos fazer com que não façam isso.” E agora são esses os que estão no controlo.

KC: Okay. Eles podem …

BD: Agora, deixa-me acabar. Há extraterrestres que se estão a borrifar e a lamentar  entre eles, e entre nós, a mexer com as coisas e a causar problemas aqui e ali, mas há um terceiro partido acima deles que está no comando.

KC: Ok. Se estão no comando, estão a fazer um péssimo trabalho.

BD: Não, É melhor que fale com eles sobre isso!!

KC: E vou falar!

BD: E se quiser correr para eles e encontrá-los, cara a cara como eu …

KC: Claro que sim!

BD: ... Deve estar preparada para lhe dar alguma orientação sobre o que pensa que seria a resposta!

KC: É isso que estamos a fazer aqui. OK? Direi a essa gente, de fora do planeta: Somos os vossos descendentes.

BD: Somos a família deles.

KC: Certo. Por esta razão temos a mesma genética. E, por esta razão, como o filho é o pai do homem, temos todo o direito de nos levantarmos, falarmos com eles e dizer-lhes o que está certo e o que está errado, com o que se está a passar aqui, ok? E isso significa uma quantidade de raças diferentes. Estamos relacionados com bastantes raças lá fora, e você sabe isso.

BD: Posso ver esse jovem adolescente levantar-se e dizer, “Olha, pai, vou dizer-te que precisa ser feito. E o pai olha para baixo, para o miúdo mimado e diz, “Bom, está bem. Diz-me o que pensas, mas entretanto, vou livrar-te de sarilhos. Vou ver se não vais parar à cadeia e vou ver se, entretanto,  não ides pelos ares.”

KC: Ok. Mas temos – vamos falar a sério aqui – temos – estamos na véspera de uma Guerra civil nos Estados Unidos, e sabeis isso, ambos, ok?

BD: Não, não há -  

KC: As nossas forças armadas estão extremamente descontentes. O governo está – bem, o governo secreto está a trabalhar duramente para canalizar o dinheiro em projectos escuros. Essencialmente tivemos uma civilização monstruosa que está a viver – a sair do planeta usando tecnologia que é mais ousada do que os vossos sonhos mais ousados, e estamos aqui – aqui em 2012? – e ainda não temos carros voadores. Estamos a usar a tecnologia velha. Eles estão a demonstrar, através da NASA, estão a tirar astronautas para fora do planeta de uma maneira inconsciente em latas de estanho que explodem e os matam. Quero dizer com isto, tivemos una situação que realmente não está muito clara.

E estamos na véspera de – esses jogos com que eles estão a brincar, com os chemtrails, estão a arruinar a saúde das pessoas em todo o mundo, especialmente nos Estados Unidos, tivemos bases subterrâneas, praticamos experimentações Dulce em seres humanos que são de bradar aos céus, tivemos laboratórios de armas biológicas espalhados pela nação, contaminamos o planeta com radiação, de Fukushima, agora no norte de Chicago e aqui em San Onofre, tivemos outra central nuclear, algumas das quais estão a ser lançadas pelos podres vigentes.

Por isso, estão a brincar com jogos que não são apenas jogos divertidos, são jogos muito sérios. Estão a perturbar-nos …


CS: Podem seguir em frente e brincar com esses jogos, mas a situação é que, podem continuar a jogar esses jogos, mas a situação é que nós, um público desconhecedor e insuspeito, deixemos isso acontecer.

BD: Deixe-me …

CS: Em resumo, sou um oficial aposentado. Amo imenso este país. Se alguém ameaçar o meu país, poria a minha vida em risco para defender a nossa maneira de viver. De todos os países do mundo, este país tem, precisamente, a melhor forma de governo. Mas o que o torna melhor é o seu povo. E podemos falar dos podres do governo, e dos podres do complexo industrial, mas finalmente, nós, o povo, temos a arma mais poderosa do mundo. É isso mesmo. E quando chega a ocasião de votar, vocês votam. Quando pensais que há coisas que estão erradas, escreveis aos membros do governo.
Agora, eles podem não responder – nos caso dos OVNIs, podeis acreditar, escrevi a muitos senadores e a muitas agências do governo, e tenho a certeza que eles detestam isso, mas como disse uma vez a um major, quando ele me perguntou, “ Que diferença lhe faz que o Pentágono tenha 50 discos voadores?’’Prossegui e disse, “Sir, pode dar-se ao luxo de desconhecer a verdade. Infelizmente, não partilho esse luxo.”

Experiências tais como a do Sargento Major e as minhas, quando as juntamos, elas traçam um quadro. E a situação é, porque é que falamos? Garanto-lhes que o Sargento Major ama o país tanto como eu, e talvez possamos ser velhos excêntricos, mas se ameaçassem a nossa maneira de viver, pegaríamos em armas.

BD: Jurei pela minha vida, servir este país e ainda faço isso.

CS: E esse juramento ainda é querido ao meu coração.

KC: Ok. Mas compreendem que tendes um governo …

CS: Oh, sim. Oh, sim
.
41:26 -- KC: ... que está preparado para colocar sob prisão pessoas como vós e como eu, e talvez algumas pessoas desta sala por falar a verdade. Porque querem manter segredos, e querem continuar dessa maneira, que basicamente se tornou numa sociedade criminosa,por trás das nossas costas. Certo?

A entrevista continua.

Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos
Email: luisavasconcello2012@gmail.com








Post a Comment

assange



At midday on Friday 5 February, 2016 Julian Assange, John Jones QC, Melinda Taylor, Jennifer Robinson and Baltasar Garzon will be speaking at a press conference at the Frontline Club on the decision made by the UN Working Group on Arbitrary Detention on the Assange case.

xmas





the way we live

MAN


THE ENTIRE 14:02' INTERVIEW IS AVAILABLE AT

RC



info@exopoliticsportugal.com

BJ 2 FEV


http://benjaminfulfordtranslations.blogspot.pt/


UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00h UTC


By choosing to educate ourselves and to spread the word, we can and will build a brighter future.

bj


Report 26:01:2015

BRAZILIAN

CHINESE

CROATIAN

CZECK

ENGLISH

FRENCH

GREEK

GERMAN

ITALIAN

JAPANESE

PORTUGUESE

SPANISH

UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT


BENJAMIN FULFORD -- jan 19





UPDATES ON THURSDAY MORNINGS

AT 08:00 H GMT

PressTV News Videos